quinta-feira, 27 de outubro de 2011

728 dias pra mais....

Acredita que foram duas noites consecutivas sonhando com você? Acredita nisso, subaquera??? Eu quase não acreditei... todas as noites que sonho com você, assim que abro os olhos e me dou conta do super sonho que tive, tomo o maior cuidado pra não fazer movimentos bruscos com o cérebro e, de repente, esquecer o sonho. Sabe como é, né? Sonho é a coisa mais fácil de se esquecer...

O mais romântico de tudo, fedo, é que nos meus sonhos você ainda é o meu namorado. E eu sou a tua namorada. Passaram-se 2 anos, passaram-se mais que 728 dias... puxa vida! 728 dias!!! Quem diria que eu suportaria viver 728 dias sem você...

E tô viva. Tô levando a vida, como se diz... do jeito que dá e quando não dá, a gente vai levando também, porque, né? Tem como não levar?

O que tenho pra te dizer não é novidade: sinto tua falta.
Ou talvez seja. Talvez seja uma baita novidade alguém dizer tanto que sente a tua falta, mesmo depois de 728 dias. Alguém dizer que ainda sonha... ainda ama da mesma forma... ainda chora.

É a incoerência da vida. No meio de tantas coisas belas, ela nos obriga a conviver diariamente com a brutalidade escancarada. Vida finita, singular e rara.

Lembra quando você disse que eu sou uma coisa rara? Rara de se ver e de se ter? Pois então, nego véio, mais raro é você. 728 dias foram absolutamente nada diante de todas as lembranças que guardo e todo sentimento que tenho.

Continua sempre comigo, tá bem? Preciso de você e, talvez, um dia eu consiga perdoar de coração o grande responsável por essa nossa separação.

Nenhum comentário: