quinta-feira, 1 de agosto de 2013

sonhade


sonhei com você esta noite, meu rapaz...
pois é.

como você estava? lindo. como sempre.
como eu estava? com aquela felicidade anterior. com aquela felicidade segura, entende? a tal que hoje em dia não sei mais se sei sentir. parece que tudo vira angústia só à espera do fim. 

que tristeza é essa?

sonhei com você: motivo de felicidade, oras bolas! chega uma hora que a gente não deve mais se indagar qual o tipo de felicidade. apenas felicidade basta.

a gente namorava.
eu me senti vista por você (que saudade).
eu me senti beijada por você (que saudade).
eu me senti amada por você (que saudade).
e o melhor: você estava de vermelho, nego véio!
(olha, não sei se você apareceu no meu sonho porque você quis ou porque eu quis. se foi porque eu quis, parabéns pra mim por lembrar de um detalhe tão lindo e te vestir de vermelho só pra mim. se foi porque você quis, mais parabéns pra você por lembrar do tanto que eu gostava quando você vestia vermelho... e aquele amarelo também, lembra? mas vermelho é vermelho, nós dois sabemos disso. obrigada!)

eu não acordei angustiada como costumava acordar dos sonhos com você. o tempo agiu. o tempo me fez aceitar que você não voltará e que sonho é sonho. ok, tempo. sonho é sonho. se sonho é sonho, por que em todos meus sonhos eu amo tanto tanto tanto como se fosse você, sr. tempo, dando manivela pra trás? por que "judiar" com tanto amor? 

desculpa, tempo.
eu sei que você é o único capaz de me consolar um pouco. você é contraditório, mas admito que não é cruel. você é capaz de dar manivela pra trás só pra eu matar um pouco da saudade que me mata todos os dias sem eu perceber. (mecanismo de defesa do organismo, sabe, fedo? faz a gente acreditar que aquilo que nos incomoda não existe mais quando, na verdade, sempre existirá...)

pois é.

beijos e abraços; sorrisos e lágrimas pra você.
(sinta um pouco da vida daqui).