sexta-feira, 11 de outubro de 2013

a véspera.

carrego você comigo. não porque eu quero nem porque preciso. ficou. é pesado? às vezes é... e a culpa é de quem mesmo? bom, isso não importa. importa deixar de lado a mania besta de sempre querer por a culpa em alguém. tanta coisa importa, afinal de contas... 

importava muito o tanto que eu te amava. importava eu saber que você existia e ponto., isso era o mais importante. você e eu, fico impressionada com isso... ainda fico. você e eu foi algo que... como explicar? quanto mais eu vivo, mais entendo você e eu, mais entendo você, mais me entendo... no entanto, tanto fica sem ser compreendido.

hoje pra amanhã é pesado.
lembro dos minutos antes, dos minutos durante e do tempo infinito de depois. da dor que explodiu aqui dentro e eu tive que recolher caco por caco sozinha. não sinta pena! jamais. sinta apenas compaixão e tente compreender o que eu não compreendo, meu bonito... coisa que já nem sei mais se posso te chamar de "meu". 

e a nossa história foi assim que aconteceu. 
ou não aconteceu.

você é raro, gio...

 

2 comentários:

LOURDES LZ disse...

♥♥♥♥♥♥♥
Sempre será seu....e meu...

António Jesus Batalha disse...

Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
decerto que virei aqui mais vezes.
Sou António Batalha.
Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.